segunda-feira, 25 de outubro de 2010

MISSÕES - MOÇAMBIQUE

PAIS ORFÃOS -2 

Não tinha intenção de trazer a este espaço qualquer referência a um outro, de cariz diferente, mas concluí que eles são indissociáveis.
Lembram-se de PAIS ORFÃOS?
Ontem o nosso amigo P. Pedro tinha combinado mais um almoço connosco e com o casal Dª Graça e Paulo.
Como habitualmente, às onze, quando estamos no “quintal”, fomos à missa.
De alguma forma fomos surpreendidos pela grande afluência. A igreja estava a “abarrotar”. É que se tratava de “enviar” uma missionária leiga para Moçambique onde irá ajudar, sobretudo, crianças.
A missa foi concelebrada por dois Padres Missionários Combonianos e pelo Padre Pedro.
Durante ela foi apresentada à comunidade, pelo presidente da assembleia, a Liliana ou “Lili”, filha de um casal cá da terra. Conhecíamos o avô dela, a mãe e o pai, mas destes, nem sequer sabíamos que eram um casal. Toda a nossa vida foi passada, ao cabo e ao resto, fora daqui.
A “Lili” foi muito acarinhada por todos. Ela sentia, disse-nos mais tarde, a necessidade de partir, em missão, ajudar quem mais precisar. Por isso há dois anos juntou-se aos leigos combonianos e, agora pronta, vai partir no dia 9 de Novembro para Moçambique, por dois anos, pelo menos.
Menina de trato fácil, simples e muito bem-falante, muito raro cá na terra. Era catequista, participava no coro e em muitas outras actividades.
Mas como ia dizendo o P. Pedro tinha combinado aquele almoço. Quando já íamos para a viatura, perguntei-lhe pelos colegas dele.
“AH, isto foi mal combinado, eles tem um lanchinho no clube e depois eu vou ter com eles”. “Qual quê! os quatro ao mesmo tempo, “vamos arranjar uns comes e vamos todos”. E assim foi. Reunimo-nos todos, no clube, para os comes.
Foi aí que falamos com a “Lili”, como disse de trato fácil e muito bem-falante, que não nos conhecia…
No final fomos os quatro para nossa casa onde passamos a tarde. O P. Pedro juntou-se-nos mais tarde e, imaginem, passamos um bom bocado a jogar “ao burro”…
Foi um dia muito diferente e não podemos deixar de agradecer ao P. Pedro e ao casal Dª Graça e Paulo.
            À “Lili” desejamos as maiores felicidades e que tudo lhe corra bem neste caminho que o seu coração escolheu.

8 comentários:

sideny disse...

Olá Sr. Bártolo

Moçambique um pais Tâo pobre, onde os meticais quase nada valem.
Desejo a Lili que tudo lhe corra bem por lá.

gosto imenso das suas fotos do post anterior.
Adoro as fotos daquela altura tenho claro algumas dos meus pais, assim a preto e branco.
E aquela moda daquele tempo linda:))
beijinhos

JBártolo disse...

Olá Sideny:
GAAAANHOUU. Vou,um dia destes, dar-lhe um prémio por ter alcançado o 1º lugar no ranking dos comentários.
As fotos são dos meus colegas e professores. São velhinhas e espero que algum deles as veja e se manifeste.
Muito obrigado
Beijinhos

. intemporal . disse...

.

. uma boa escolha a da Lili .

.

. porque a solidariedade não se faz sentado no sofá da sala, comoda.mente ao computador .

.

. um exemplo a seguir, para quem queira parar,,, e pensar um pouco .

.

. parabéns pelo Seu novo espaço, este sim, pessoal e in.transmissível . desejo.Lhe o maior sucesso para o mesmo, que transpire um pouco do tanto de Si, e aí reside a chave de todos os segredos .

.

. abraço.O .

.

JBártolo disse...

Olá Paulo
Agradeço-lhe imenso as suas visitas a esta nova casa. Peço-lhe desculpa, mas houve para aqui alguma "baralhação" e ainda o não tinha incluido naqueles que já seguia do outro lado.
Um grande abraço

BRANCAMAR disse...

Olá Pai Bártolo,

Felizmente ainda há muitos jovens com espírito de missão. Acompanho há muito o espírito dos padres cambonianos, tenho um seminário relativamente perto, já muito inovadores nos anos sessenta e ainda hoje sempre na vanguarda, cheguei a escrever na revista missionária deles "Além-Mar", que qualquer pessoa pode assinar e o seu trabalho com leigos é extraordinário. A Lili não podia ter escolhido melhor, um grupo cujo objectivo principal foi sempre a missão de servir os mais pobres dos pobres.
Também tenho uma jovem amiga em Moçambique, num outro grupo e creio que esta foi uma missão que transformou toda a sua vida.

São experiências marcantes e definitivas na formação das pessoas.

Beijos para vós e para a missão da Lili muito êxito.

Branca

JBártolo disse...

Olá de novo Tia:
Como disse, nós não conheciamos a Lili. Falamos com ela um bocado e ficamos muito surpreendidos com a maneira de ser e estar dela. Via-se perfeitamente que está profundamente convicta da sua missão. As coisas não foram muito bem organizadas e os dois missionários e os vários leigos que os acompanhavam íam ficando sozinhos no tal lanche, se por acaso não me tenho lembrado de perguntar por eles ao P.Pedro. Mas tudo se remediou e passamos parte da tarde com eles.
Esperamos sinceramente que tudo corra bem à Lili.
Beijinhos

thoense disse...

amigo Bartalo já há uns bons anos que não o vejo.
Parabens pelo seu blog em nome de todos os thoenes. Era das poucas aldeias de mogadouro que não tinha blog. Se não fosse você ninguem sabia que existia Tó. Já que quem por direito o devia fazer não o fez.

JBártolo disse...

Olá Thoense:
Efectivamente já não vou aí desde 2005 e quando o fazia era quase de passagem. Agora devido a alguns acontecimentos recentes, dificilmente poderei voltar aí.
Lembro-me de uma familia com o seu apelido, mas sinceramente já não consigo ligar à imagem das pessoas. Se quiser pode enviar algum esclarecimento para o meu e-mail, fácil de encontrar no perfil.
Quanto ao blogue vou tentar escrever algo do que me for lembrando. Se quiser pode contribuir. Não pretendo substituir ninguém e parece-me que os senhores da junta poderiam criar um para promover a freguesia.
Um abraço